segunda-feira, 2 de março de 2020

Gabo: Um livro e um documentário

Há algumas semanas comecei a ler "Cem anos de solidão", leitura iniciada há mais de dez anos e interrompida pelo sumiço do livro, que nunca mais voltou.
Agora, em posse de novo exemplar, me deixo embalar pela história fantasiosa de Macondo e dos Buendía, desejando a cada intervalo ter ainda mais tempo, para que pudesse devorá-lo em um dia só e ao mesmo tempo poupando as páginas para que possa prolongar o prazer de preciosa leitura.
Garcia Márquez me parece um gênio entendedor das mazelas e dos desejos da humanidade, um psico-antropo-sociólogo + filósofo com um misto de Zaratustra.
Neste fim de semana, sem querer, me deparei com o documentário Gabo, sobre sua vida, sobre a criação de seus livros e sua ascensão como escritor. Uma feliz coincidência!

segunda-feira, 3 de fevereiro de 2020

Show do ano: Titãs

Outro dia, inspirada na série do projeto "100 em 1" do blog Parafraseando com Vanessa, pensei se eu também daria conta de cumprir aqui no blog este desafio. Mas como já estou na função de atualizar meus eventos semana a semana, resolvi incluir os passeios mais bacanas de 2020 nas postagens de "A semana".

Aqui é comum um aumento na quantidade de eventos culturais ofertados no verão, devido ao alto fluxo de turistas. Esse fim de semana, fomos surpreendidos por este show irreverente: Titãs. Não só pelas músicas que marcaram época, mas pela performance dos músicos que continuam agitando a platéia. O som, a voz, a energia, a iluminação... 

1 hora e quarenta minutos de música de qualidade à beira-mar, numa noite quente, ao lado de casa. Uma banda que atravessou gerações e continua atual, que, neste Domingo quente e chuvoso, sacudiu o público com milhares de pessoas de todas as idades. Foi, para mim, como um sopro de vitalidade que me encheu de ânimos, como uma poesia bem escrita que transforma e põe a refletir sobre a maravilha de viver. Merece o registro! 

domingo, 2 de fevereiro de 2020

A semana 4 / 2020

Ontem à noite chovia. Eu aproveitei o silêncio da noite, aquele momento a sós, comigo mesma para deitar na rede e ouvir o barulho bom da água caindo do céu. Para mim é coisa meio sagrada mesmo. Pouco depois, quando a chuva já estiou, passou o apito do guarda que circula de bicicleta.

- Priiii! Priiii!

Vai saber porque, mas eu adoro esse som, desde criança. É como se partilhasse daquele momento insone com mais alguém que faz a ronda lá fora, espantando os intrusos, os pensamentos alheios, tudo misturado, dentro e fora, aqui e lá. 

domingo, 26 de janeiro de 2020

A Semana 3 / 2020


Não tomei notas dos filmes ou de trechos de livros.
Mas assisti a dois bons filmes. Um brasileiro, outro argentino.
Não fotografei as minhas receitas.
Não li jornais e nem fui a museus.
Fiz pão que deu certo (uhuuu!)
Fiz picolé de frutas e merengue com a minha abelhinha.

quinta-feira, 16 de janeiro de 2020

A Semana 2 / 2020






Lá em Barra...
A semana teve praia, bons dias de praia.  Que não é novidade na rotina, especialmente nas férias de verão. Mas o encontro com esse mar que eu chamo de "quintal", que nos é familiar foi especial, como sempre é, quando voltamos de um período longe de casa. É o reencontro com o que é parte de nós e que ainda consegue nos proporcionar tantas surpresas agradáveis.
Antes disso, ainda no começo da semana, visitamos Barra do Jucu / ES. O mais especial foi o almoço em família, num inusitado restaurante à beira do rio: Espera Maré, que nos surpreendeu pela comida e pelo charme na decoração. Até me inspirei em um cantinho do lavabo e copiei aqui em casa.

Aqui em casa.













Para fechar, ontem, já em casa, depois de um mergulho na Praia do Pecado, teve encontro com amigos, café da manhã com bolo indiano e troca de receitinhas naturebas.

Desodorante caseiro:
Uma colher de sopa de bicarbonato de sódio
Uma colher de sopa rasa de álcool 70
Misture até formar uma pasta, que pode ser guardada em um recipiente com tampa.


domingo, 12 de janeiro de 2020

A semana 1 / 2020


Há muitos anos venho tomando coragem para escrever aqui no blog semanalmente, como já faziam muitas blogueiras. A ideia era manter para mim um registro dos meus dias, das coisas boas que fiz, para que pudesse recordar algum tempo depois. Acho que sequer tive o impulso de começar a escrever uma primeira postagem como faço agora. Mas os começos estão por aí, a qualquer momento. E que melhor ocasião para começar um novo projeto que o início de um novo ano?
“A semana” é isso. Um projeto de vida, o impulso de recomeçar, de me tornar melhor e aproveitar o que há de melhor ao meu redor. Uma chance de rever o que deu certo para continuar e o que fracassou para desenvolver e criar novas oportunidades.
Para 2020, tenho alguns desejos. Os essenciais que acho que todo mundo de uma forma ou de outra almejam para a vida. Sucesso, saúde, amor... Dentro disso as formas variadas de se alcançar. Quero música, poesia, gastronomia, paisagens e me cercar de pessoas queridas. Quero enxergar o melhor nas pessoas, ser mais tolerante, mais paciente e positiva. Acordar cedo, trabalhar, produzir, cuidar dos meus amores, mas antes também cuidar de mim para que eu esteja forte e bem para estar com eles.

“Que a gente não perca nunca essa mania de ver o amor em tudo”.
Frase no muro em Regência/ES – 1ª semana de 2020.  

segunda-feira, 14 de janeiro de 2019

Broto de lentilha

O barato dessa onda vegana é que a gente aprende muita coisa interessante por aí.
E eu, que adoro inovar sempre no cardápio aqui de casa, tratei de experimentar o preparo desta "slow food", e bota slow nisso!
É muito bacana ir vendo o desenvolvimento dos brotinhos nas lentilhas dia após dia. É mais uma vez a vida se manifestando nas suas tão variadas e lindas formas. Eu me apaixonei por elas. Lá pelo quarto dia, os brotinhos estavam compridos, exuberantes e prontos para serem... devorados?



Aí bateu um remorso e fiquei no dilema: comer ou plantar? 
Lógico, de uns 200 grãos, eu não poderia salvá-los na terra ainda que jogasse todos em um terreno vazio. Pensando desta forma, comi. Mas não vou mentir, deu um certo pesar, ligeiramente contraditório, um pensamento frugívoro.

O processo: A técnica é lenta, mas simples. Deixei de molho um punhado de lentilhas durante um dia. Depois, escorri a água, lavei e coloquei em um prato fundo. Cobri com outro prato. Durante os próximos 3 dias, lavei e escorri os grãos de manhã e de noite, voltando a armazenar no prato tampado. Existem outras técnicas, cobrindo com tule. Fácil de encontrar no youtube. Eu usei lentilha de supermercado mesmo, marca comum, nada de feira, orgânico, nada disso e deu certo.
Eu comi assim, com um fiozinho de azeite, mas para quem não curte muito o sabor do broto puro, fica muito bom em saladas de folhas variadas, com molhos, etc.